Artigo

A Logística está em tudo

16 de agosto de 2022

A mineira Anna Valle, CEO e fundadora da plataforma Flowls, saiu de Guaxupé para cursar Engenharia de Produção e Civil na Universidade Federal de Santa Catarina. Morou durante cinco anos em Florianópolis e mais meio ano em Brusque, antes de se mudar para São Paulo, em 2011, e definir o rumo da vida profissional.

Em Santa Catarina, sua primeira experiência na área de logística foi no Instituto de Desenvolvimento Logístico, com a operação de um software para cadeia de suprimentos. O que para os leigos parece indecifrável, ela explica com simplicidade. “A logística está em tudo. Sempre tenho trabalhado na melhoria dos processos, identificando os elos mais fortes e mais fracos da cadeia logística para eliminar os gargalos”.

Em São Paulo, ela criou a plataforma Flowls (atualmente com sede no Cubo Itaú), que integra e automatiza todo o fluxo de operação de logística e comércio exterior. 

“A cadeia logística é como um quebra-cabeça, com peças soltas e repleta de complexidade”, ela comenta. Explica que atuam diferentes intervenientes (agente de carga, despachante, embarcador, importador, exportador, indústria, fornecedor, governo e outros) que participam, juntos, de três grandes fluxos: o fluxo de materiais, o fluxo financeiro e o fluxo de informações.

O grande desafio, segundo Anna, é reunir as informações fragmentadas de todos esses fluxos e sistemas. “As várias partes envolvidas na cadeia têm pouco ou nenhum conhecimento das ações umas das outras e essa falta de comunicação gera muita ineficiência, desperdício e pode levar à desconfiança entre os fornecedores e seus clientes. O problema fica ainda pior quando você está operando globalmente”.

Geralmente, os usuários fazem controles de informações de forma manual, consultando sites e sistemas, copiando e inserindo em uma planilha Excel. A comunicação é realizada por e-mails, telefones e whatsapp. “Nosso trabalho na Flowls é justamente integrar todas as partes envolvidas, monitorar e digitalizar o fluxo do processo de ponta a ponta. Todas as informações ficam disponíveis e visíveis. E ainda temos a flexibilidade de personalizar de acordo com o segmento e necessidade do cliente. Isso vale para qualquer tipo de empresas logísticas, como importadores, exportadores, armadores, transportadores e terminais”, define.

Com esse controle as empresas conseguem enxergar todo o processo em tempo real, ter planejamento para conseguir tomar decisões, evitar custos e tomar decisões mais assertivas e com maior previsibilidade.

Anna participou recentemente do Fórum Santos Export e ficou entusiasmada com os painéis e os contatos: “Lá estavam os maiores investidores e atores do setor, quem está construindo o futuro do porto e tem tudo a ver com o futuro da logística. O que nós queremos é construir juntos esse futuro. Pena que ainda há poucas mulheres no setor, mas isso já está mudando”.

Sempre que pode Anna volta a Guaxupé para matar a saudade dos pais, da família e dos amigos. Sente falta das praias de Floripa, mas está muito feliz em São Paulo. E para quem até há dois anos vivia mais à base de congelados, a pandemia e morar com o namorado trouxe uma novidade em seu cotidiano. Agora ela tem como hobby também a cozinha e revela o segredo: “Comecei a seguir a Nicole Girardi no Instagram (@niemcasa) e as receitas são fáceis e deliciosas”.

Veja a matéria aqui.

Mais antigo:

«